Dia #36

Setembro 2, 2010

E, no meio do jogo, voltou aquele cheiro. A padaria pela manhã, o silêncio da serra, o fresco das horas matutinas, e o pão, os bolos. E o sorriso da senhora que todos os dias nos cortava uma generosa fatia do bolo de chocolate e nos contava da sua infância pela serra, dos costumes, da família, das brincadeiras. A simpatia. E ali, a meio do jogo de ténis, a caminho de uma bola perdida, no canto do campo, foi ali que me voltou o cheiro ao pão do dia e me levou de volta àquelas manhãs. A senhora dá os bons dias, esconde os olhos nas bochechas sorridentes, e oferece um jantar da próxima vez que lá formos. Boas memórias, dias felizes e uma coincidência bem-vinda.

Comigo: Never Ending Why – Placebo

Anúncios

Dia #33

Maio 31, 2010

Afinal sabe mesmo bem. Sozinha no carro, regresso à rádio que me acompanhou há uns anos atrás, quando a conseguia sintonizar no quarto de manhã. Parece lembrar-se de mim e, para me receber bem de volta, presenteia-me com Aquela voz. Aumento o som, tinha saudades de o ouvir e nada melhor para conseguir ignorar o trânsito demasiado lento do centro de Lisboa.

Feel no shame for what you are

De cotovelo apoiado junto à janela, recostada no banco, canto o que ainda recordo da letra, ainda tenho muito disto dentro de mim. A janela entreaberta não deverá passar muito da minha voz, espero. Não importa.

Stand absolved behind your electric chair

dancing

O momento é meu. Só. Sabe bem.

Comigo: New Year’s Prayer – Jeff Buckley